• Sabrina

Alicante, o sol espanhol, e um conto de viagem: O que fazer em Alicante em um dia

Atualizado: Mai 11


"Eu não me lembro bem a razão, mas recordo que eu tinha um dia livre, apenas um dia. Não queria desperdiçar nenhuma oportunidade viver uma descoberta, então resolvi que faria algo simples e sem muitas expectativas, mas que me traria a sensação de um dia bem vivido. Por isso resolvi planejar uma visita de um dia a Alicante."


Assim começa o primeiro conto das viagens que fiz sozinha pela Espanha. Por aí você já tira que Alicante me proporcionou uma experiência digna de um livro. E é por isso também que resolvi contar o que eu fiz ali em forma de roteiro, para que você não perca a oportunidade de viver o que eu vivi.



Eu prossigo o conto narrando a conversa que tive com com um nativo dessa cidade a respeito das coisas mais interessantes que havia para fazer ali, aqueles pontos turísticos que eu não poderia deixar de ver. Ele me disse: "não há muito o que fazer, apenas o Castillo de Santa Barbara e a praia. Em uma manhã você visitará tudo."


Agora você entende porque eu resolvi fazer uma visita de um dia nessa cidade.


De fato, o Castillo de Santa Barbara é a principal atração de Alicante, e se você tiver apenas um dia como eu, ele será seu destino, definitivamente. A visita é gratuita, e o tempo que você fica hipnotizado apreciando o Mar Mediterrâneo lá de cima, certamente te tomará mais do que uma manhã.


Eu estava alojada em Elx, uma cidade menor a 30 minutos de ônibus dali. Ao desembarcar no terminal rodoviário, fui caminhando em direção ao Monte de Santa Barbara pela orla, admirando a marina e os barcos atracados. Foi uma caminhada de uma hora, aproximadamente. Extremamente tranquila e linda.


Eu estabeleci que o meu roteiro seria o seguinte: faria a vista ao castelo e depois iria para a praia. Seria a primeira vez que eu tocaria nas águas do Mediterrâneo, e pra falar a verdade, era a parte que eu estava mais ansiosa. Meu conselheiro turístico não me criou muitas expectativas sobre o castelo, assim deduzi que passaria a maior parte do meu tempo na praia.


Dessa forma, quando cheguei próximo ao monte, me desviei para a esquerda e segui pelo centro urbano de Alicante. Esse era o caminho mais curto para o castelo. Os prédios são clássicos e belíssimos, a ensolarada e agradável cidade é simplesmente linda, tudo combina com o céu. Um espanhol me contou que ela é um dos principais destinos escolhidos por europeus aposentados para viver sua aposentadoria, especialmente provindos da Suíça e Alemanha.



O Castillo de Santa Barbara


Como tudo na história da Espanha, o Castelo de Santa Barbara foi a sede real do governo árabe e a residência de Califas antes de ser conquistado pelos reis católicos. Foi também um forte militar em grande parte destruído pelo ataque inglês, e também foi cenário de uma trágica estória de amor.


O acesso aos portões do castelo são facilmente feitos a pé (por pessoas que não tem nenhuma limitação de locomoção), e a entrada é gratuita. Estar naquela altitude em uma cidade predominantemente plana é inebriante. Os próprios arredores da muralha do castelo já nos transporta para outras eras.


Um detalhe: existe um elevador que conecta a Playa del Postiguet ao castelo, mas eu não usei esse serviço e, pra falar a verdade, não achei necessário. Por isso não posso informar a respeito, mas você pode usar se tiver interesse.


Assim que entrar você vai passar por três situações ou etapas: vai dar de cara com o mar e ficar encantado com a vista, achando que aquilo poderia ser o auge da experiência. Eu ficaria feliz se fosse só isso, já teria valido a pena. Depois tem o percurso dentro do próprio castelo, onde você conhecerá a interessantíssima história e todas as batalhas que aconteceram ali. Não deixe de ver os painéis interativos que contam as histórias, elas são incríveis.


Por último, o topo do castelo, com vistas para o infinito horizonte azul. Não há nenhuma palavra digna de descrever a vista, você verá. Ali você estará a 200 acima do nível do oceano.


Dentro do pátio do castelo há um restaurante onde eu comi um sanduíche com refrigerante. Não é dos mais baratos que já visitei, mas preço é razoável e dá pra comer bem sem pagar muitos absurdos. Tem também um "trailer" que vende alguns snacks, mas só aceita pagamento em dinheiro. Aliás, você vai precisar comer ali, pois se decidir desfrutar da visita como ela merece, vai levar algumas horas.


Depois de explorar todos os catinhos do castelo, desci para a praia, e para conhecer o outro lado do Monte de Santa Barbara, resolvi contornar o morro virando para o lado direito. Passei por uma vizinhança que parece uma favela brasileira, mas nada do que vi me fez sentir insegura. Além do mais, 5 minutos depois já estava na orla da Playa del Postiguet. Não preciso dizer a nenhum brasileiro o que fazer na praia, especialmente uma com areia clara e fina, águas calmas e cristalinas.


Dali se tem a vista do Monte de Santa Barbara por uma perspectiva que justifica a lenda que conta como se formou a "cara del moro" (a cara do mouro). Esse era um nome antigo daquela formação, que tinha a forma de um rosto de perfil, mas parte desse contorno foi destruído por uma granada inglesa durante um ataque no século XVIII.


Conta a lenda que, durante o domínio muçulmano, o califa tinha uma belíssima filha para quem ele buscava um pretendente à altura. Mas a princesa não queria se casar. Assim, ele organizou um grande baile e convidou milhares de príncipes. Só que, infelizmente, a princesa se apaixonou por um cristão que havia entrado na festa sem ter sido convidado. Sabendo que seu amor era impossível, eles o mantiveram em segredo e planejaram fugir. Mas o rapaz foi capturado e sentenciado à morte. A princesa adoeceu de amor, e vendo isso, às vésperas da execução seu pai lhe fez uma promessa: se Alicante amanhecesse coberta de branco, ele perdoaria o rapaz e permitiria o casamento.


Alicante é uma cidade árida, quase não chove. Nevar?


Ao amanhecer, a cidade estava branca.

Não era neve, eram as amendoeiras em flor. A princesa entendeu esse fenômeno como um sinal da natureza abençoando o seu amor, e correu aos aposentos de seu pai para lhe contar. Mas no caminho para o topo do castelo se deparou com um corpo estirado e a constatação de que seu pai não cumprira com a promessa. Dali mesmo a princesa se jogou morro abaixo, tirando a própria vida. O pai, corroído pela culpa, pediu a Alá o pior dos castigos, e como resposta, foi petrificado no mesmo morro de onde a sua filha havia se jogado. Assim, seu rosto se tornou o ícone de Alicante: a cara do mouro.


Ver o monte desse ângulo ali da praia é como ver um filme da própria lenda. Ali, com os pés no Mar Mediterrâneo pela primeira vez, vivi um momento único e indescritível. Depois do pôr do sol, retomei meu caminho de volta para o terminal rodoviário pela orla, plenamente satisfeita do meu dia em Alicante.


Se há outras coisas que mereçam fazer parte de um roteiro de um dia, eu desconheço. Apenas essas duas experiências foram mais que dignas de um conto de viagem, e preenchem as horas de um dia inesquecível.


Veja o curto vídeo abaixo produzido pela secretaria de turismo de Alicante, e tenha uma ideia do que te aguarda.


Não subestime os encantos de Alicante!



#viagem #sustentabilidade #turismosustentável

35 visualizações
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone Pinterest
  • Preto Ícone LinkedIn
  • Preto Ícone Instagram

©2020 por pegada na terra